Topo » Loja » MINIATURA 1/43 »

R$329.90

MASERATI CORVETTE MECÂNICA NACIONAL VELOZ HP ROBERTO GALLUCCI


PRÊMIO JOHN F. KENNEDY - INTERLAGOS SP
MASERATI CORVETTE 4500cc - MECÂNICA NACIONAL
MN ESCUDERIA VELOZ HP - 11 / 10 / 1964
ROBERTO GALLUCCI - 1º Lugar


REVISTA COLECIONISMO BR / VOLAREBRASIL, estão resgatando a época `gloriosa´ do nosso Automobilismo,com réplicas artesanais retratando todo o histórico das competições no Automobilismo Brasileiro.
A Série Comemorativa - AUTOMOBILISMO BRASILEIRO ,é limitada com pouquíssimas miniaturas produzidas em homenagem para as Equipes, carros e Pilotos que marcaram a nossa história,e que tanto empreenderam no Automobilismo Internacional.

- Miniatura em metal e Resina PU com pó de alumínio e com partes em zamak, e plástico.
- Detalhes exclusivos produzidos em photoetchd e metal zamak, com reprodução do layout da época, com tinta original automotiva.
- Reprodução do cockpit, instrumentos e Santo Antonio em alumínio.
- Série exclusiva 1/43 limitada ( somente 9 peças produzidas ) Comemorativa> `Grandes Equipes e Campeões Brasileiros
- Embalagem de acrílico luxo com foto translúcida, e réplica com a figura do piloto.

Não é miniatura Altaya, ou IXO, ou Automodelli, ou Minichamps, ou Spark ou `Banca de Jornal ´...
Modelo exclusivo e inédito desenvolvido e produzido pela VOLAREBRASIL, com projeto HandMade 1/43 em metal e resina PU com o exclusivo processo de pó de alumínio

SÉRIE LIMITADA COM POUQUÍSSIMAS MINIATURAS PRODUZIDAS EM HOMENAGEM - AUTOMOBILISMO BRASILEIRO / GRANDES EQUIPES E PILOTOS.

IMPERDÍVEL !

REVISTA COLECIONISMO BR
A Mais Nova Tradição No Colecionismo Brasileiro
https://www.facebook.com/revistacolecionismobr


Roberto Magalhães Gallucci, nasceu em 12 de março de 1934 no Rio de Janeiro. Veio ainda garoto para São Paulo e começou cedo a comercializar automóveis, trabalhava na região da Av. Rio Branco em São Paulo, tradicional ponto, na época, de comércio de automóveis. Começou a correr em 1960, com 26 anos.

Sua estréia foi com carro DKW Vemag fazendo dupla com o gaúcho Flavio Del Mese e não foi boa: capotou o carro. Mas não desistiu, voltou a correr com um carro Simca e foi primeiro em sua categoria em Poços de Caldas (MG). Excelente mecânico preparador, montou uma oficina própria no bairro de Pinheiros, à rua Cônego Eugenio Leite, só para seus carros e dos amigos mais próximos.

A partir do ano seguinte passou a correr regularmente, inicialmente com um carro FNM/JK em dupla com Antonio Carlos Aguiar; depois se inscreveu nos 500 Quilômetros de Interlagos de 1961 em dupla com Arnaldo Pacini na Maserati 250-F com motor Corvette com que Luiz Américo Margarido havia capotado no ano anterior e que havia sido comprada por Pacini e recuperada por Victor Losacco. Pacini estava inscrito em dois carros, o outro era uma Maserati Esporte com a qual faria dupla com Waldemar Santilli, que capotou nos treinos. Impressionado, Pacini desistiu de correr, mas Gallucci correu. O carro tinha assistência de Losacco e assim que soube de seu atropelamento nos boxes, Gallucci abandonou a prova.

Havia comprado a Ferrari Monza (cat. Esporte) de Paschoal Nastromagario, mas vendeu e comprou a Maserati 250F Mecânica Nacional, que era seu sonho, e a estreou em 1962.
Sua vida era muito controvertida, em 15 de janeiro de 1964, se envolveu numa discussão e acabou por matar a tiros seu desafeto, como foi legitima defesa acabou libertado e
continuou nas corridas. Com os FNM/JK fez dupla também com o carioca Álvaro Varanda e o paulista Eugênio Martins, todos "feras". Outros "feras" com quem também dividiu o volante foram Celso Lara Barberis e Bird Clemente, correram em dois carros, sua Lancia D20 e a Ferrari 250 de Celso, a prova 500 Milhas de Interlagos de 1962.

Com a Maserati/Corvette Mecânica Nacional venceu a tradicional prova 500 Quilômetros por duas vezes: 1962 e 1963 (quando faleceu Celso Lara Barberis), no ano de 1964 não participou pois o regulamento foi alterado para carros de turismo e passou para o circuito completo, não mais o anel externo.

Por essa época deu uma entrevista à revista Quatro Rodas onde dizia: "- Se as coisas continuarem assim, não correrei mais. É desperdício ter uma carretera e um Maserati/Corvette na garagem, para correr duas vezes por ano."

No ano seguinte, 1965, voltaram a ser admitidos os Mecânica Nacional, mas misturados com Turismo, uma verdadeira salada mista (veja aqui) e anel externo, então ele se inscreveu para tentar o tricampeonato na prova.

Mesmo fazendo uma corrida planejada para não ter parada de reabastecimento e estando já em segundo lugar, uma luz acendeu indicando que precisava de óleo, para não correr o risco de fundir aquela "motorzão" Gallucci parou e aí aconteceu o imprevisto: mesmo sendo atendido rapidamente o motor "apagou" e não queria pegar, precisando ser empurrado várias vezes até funcionar de novo, foram os sete minutos mais longos da vida de Gallucci: caiu da segunda para para a sexta colocação.

Depois da prova percebeu que a época daqueles carros havia acabado e como com os carros nacionais não teria como fazer frente às equipes de fábrica, que utilizavam carros e equipamentos importados e que não eram acessíveis aos independentes, abandonou a carreira.

Após abandonar as pistas ele continuou sua controvertida vida, se envolvendo com diversos negócios, foi piloto de taxi-aéreo. Também se separou da esposa Daisy, com quem tivera dois filhos.
Comenta-se que teve, entre outros negócios, uma fábrica de carrinhos para ambulantes no bairro do Cambuci, em São Paulo, e era sócio de um hotel, até falecer em 20 de setembro de 1987 aos 53 anos num acidente de avião.


Pesquisa texto
Blog / Site Bandeira Quadriculada - Paulo Peralta
( Recomendamos a leitura deste excelente site )

Revisões
Fabricantes
Pesquisa Rápida
 
Use palavras-chave para encontrar o produto que você procura.
Pesquisa avançada
Informações da Marca
outros produtos
produtos compartilhados
Compartilhe via E-Mail
Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter
Idiomas
pt-br English
Somos associados e credenciados - SUTACO _ Subsecretaria do Trabalho Artesanal nas Comunidades SP,sendo legitimado no Artesanato Paulista e reconhecida no território Brasileiro e até no exterior. O nosso trabalho é todo ele artesanal. É produzido exclusivamente por Artesões Modelistas no Brasil, e sempre com série exclusiva e principalmente limitada com pouquíssimas unidades produzidas. O propósito do nosso trabalho é tão só reverenciar e homenagear os grandes Pilotos, Equipes, Colaboradores, Colecionadores, Pesquisadores, Entusiastas... que tanto empreenderam no nosso Automobilismo Brasileiro. O site Volarebrasil, é registrado com nome fantasia,sendo os Artesões intendentes pela produção totalmente artesanal diminuta.


VOLAREBRASIL - RÉPLICAS EM ESCALA 1/400 AERONAVES CLÁSSICAS BRASILEIRAS E MINIATURAS 1/43 DO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO.
REVISTA COLECIONISMO BR`` A Mais Nova Tradição No Colecionismo Brasileiro´´.
www.volarebrasil.net.br
www.facebook.com/revistacolecionismobr
volarebrasil@volarebrasil.net.br
.
ATENÇÃO! Ao receber solicitações com o nome/email da VOLAREBRASIL e REVISTA COLECIONISMO BR, com pedidos de pagamento on-line,
solicitações para baixar arquivos, solicitações para links redirecionados...
Informamos que NÃO enviamos e-mails com estas solicitações. São falsas comunicações.