R$349.90

WILLYS GORDINI CARRETERA CIPAN 1600KM INTERLAGOS SP 1965


CARRETERA WILLYS GORDINI
EQUIPE CONCESSIONÁRIA CIPAN
1600 KM INTERLAGOS SP 27 / 03 / 1965
#47 LUIZ PEREIRA BUENO / JOSÉ CARLOS PACE 1º GERAL


OU VERSÃO;


CARRETERA WILLYS GORDINI
EQUIPE CONCESSIONÁRIA CIPAN
1600 KM INTERLAGOS SP 27 / 03 / 1965
#46 BIRD CLEMENTE / WILSON FITTIPALDI - 2º GERAL



Não é miniatura Altaya, ou IXO, ou Automodelli, ou Minichamps, ou Spark... Modelo exclusivo e inédito desenvolvido e produzido pela VOLAREBRASIL, com projeto HandMade 1/43 em metal e resina PU com o exclusivo processo de pó de alumínio

SÉRIE LIMITADA COM POUQUÍSSIMAS MINIATURAS PRODUZIDAS EM HOMENAGEM - AUTOMOBILISMO BRASILEIRO / GRANDES EQUIPES E PILOTOS.

PREÇO DE CADA MINIATURA - R$ 349,90
PREÇO DO SET ( DUAS VERSÕES com 2 MINIATURAS ) R$ 669,90

- Miniatura em metal e Resina PU com pó de alumínio e com partes em zamak, e plástico.
- Detalhes exclusivos produzidos em photoetchd e metal zamak, com reprodução do layout da época, com tinta original automotiva.
- Reprodução do cockpit, instrumentos e Santo Antonio em alumínio.
- Série exclusiva 1/43 limitada ( somente 9 peças produzidas ) Comemorativa> `Grandes Equipes e Campeões Brasileiros
- Embalagem de acrílico luxo com foto translúcida, e réplica com a figura do piloto.

IMPERDÍVEL !

REVISTA COLECIONISMO BR / VOLAREBRASIL
A Mais Nova Tradição No Colecionismo Brasileiro
https://www.facebook.com/revistacolecionismobr


A guerra entre a Federação Paulista de Automobilismo e o Automóvel Clube estava de vento em popa, em março de 1965, e foi a principal causa de um hiato de 6 meses de corridas em Interlagos. Sem dúvida essa foi a razão do bom público dos 1600 Km, com a renda de Cr$8.672.000 superando os prêmios, Cr$5.150.000. Foram vendidos 6042 ingressos individuais, e 454 para carros.

Mas o ACESP tentou embargar a prova, que seria organizada pela Associação dos Volantes de Competição, através de uma liminar. A prova só foi salva por que um major, Sylvio de Magalhães Padilha, na época presidente do Conselho Regional de Desportos, decidira que a prova ocorreria, com ou sem mandado de segurança. Cabe lembrar que nessa época os militares cantavam mais alto do que o judiciário...

Pois 40 carros foram inscritos, e 32 apareceram para a corrida de 200 voltas, no circuito completo de Interlagos. Entre os inscritos, as três equipes de fábrica, Willys, Simca e Vemag. Como a prova era para carros de turismo, preparo livre, nada de Abarths, Malzonis e Interlagos/Alpines. A Willys teve que inscrever carreteras Gordini com motor R8 de 1100 cc, a Simca veio com Tufões e a Vemag com Belcars e carreteras, inclusive a estréia, não muito auspiciosa, da famosa Mickey Mouse com Chiquinho Lameirão/Marinho.

Em tese, as fábricas teriam muito trabalho, pois correriam com carros inferiores contra as melhores carreteras da época, que nessa época ainda eram bem cotadas. Estavam inscritos Camilo Cristófaro, com a sua famosa Corvette 18 fazendo dupla com Aguinaldo de Góes, Caetano Damiani, Nelson Marcilio, Zé Peixinho, os Valente, e o grande gaúcho Catharino Andreatta, além do conterrâneo Breno Fornari com uma carretera Simca.

Como outsiders, a Alfa da Jolly, além de diversos independentes com Simcas, DKWs e Renaults.

A largada fora marcada para as 22 horas, e previa-se pelo menos 14 horas de corrida. Na largada estilo Le Mans, Afonso Giaffone Jr. foi o mais rápido, seguido de Marivaldo Fernandes, defendendo as cores da Simca, Jayme Silva e Camilo. Luis Pereira Bueno, com Gordini, saiu por último pois o carrinho não pegou.

Já na primeira volta, Jayme Silva liderava, seguido de Norman Casari (DKW), Catharino Andreatta (carretera), Camilo (carretera), Wilson Fittipaldi Jr. (Gordini) e Damiani (carretera). Jayme e Camilo brigaram muito nas primeiras voltas, e o último conseguiu passar Jayme na quarta volta, ali permanecendo até a sétima. Camilo teve que fazer um pitstop nessa volta, mas recuperou-se, e na 30a. volta já ocupava a liderança mais uma vez, ali ficando até a 50a. volta. Os Gordinis da fábrica que até então faziam uma boa corrida, mas longe da liderança, começaram a melhorar de rendimento, e quando uma intensa neblina caiu sobre a pista de Interlagos, ninguém mais segurou os Gordinis.

Na metade da corrida, Wilsinho liderava com um Gordini, seguido do outro exemplar da fábrica, pilotado por Luis Pereira Bueno e Jose Carlos Pace. Os leves carrinhos davam aos seus pilotos maior confiança no grande fog que se abatera sobre a pista paulistana, permitindo fazer as curvas bem mais rápido do que os carros de maior porte. As carreteras, difíceis de controlar nas curvas mesmo em condições climáticas ideiais e durante o dia, tinham que ser pilotadas com muito cuidado, o mesmo ocorrendo com os Simcas. Jayme, que seguia os Gordini, acabou abandonando a corrida na 102a. volta, e Lolli, com o Simca 44, saiu da disputa na 139a. volta. Alguns concorrentes faziam lerdas voltas de até 10 minutos, ao passo que os Gordinis ponteiros faziam tempos de pouco mais de 4 minutos. Além de ter que lidar com o nevoeiro, Camilo teve muitos problemas mecânicos com a sua carretera, assim distanciando-se cada vez mais da dupla da Willys.

Ao amanhecer, somente 14 carros continuavam na pista, com os dois Gordinis na ponta, Luisinho e Pace na frente, seguido de Bird e Wilsinho, seguidos da carretera de Camilo, e um outro Gordini em 4o. com Rodolfo Olival Costa e Carol Figueiredo. Esse foi um dia dos Gordini mesmo, pois em 6o. e 7o. dois outros exemplares do carrinho (na realidade, em 6o. um 1093), precedendo a carretera de Damiani, auxiliado pelo jovem Eduardo Celidonio, a melhor Simca, de Walter Hahn/Zoroastro Avon, as carreteras de Nelson Marcilio e Breno Fornari, e por último, três DKWs sobreviventes, do pitoresco Bruno Barracano, na frente de Norman Casari/Anisio Campos, com 54 voltas de atraso, e Valdomiro Pieski/Charles Marzanasco, 65 voltas atrás.

Essa foi, sem dúvida, a vitória de maior expressão dos Gordini, abrindo a interessante temporada de 1965...

REVISTA COLECIONISMO BR / VOLAREBRASIL, estão resgatando a época `gloriosa´ do nosso Automobilismo,com réplicas artesanais retratando todo o histórico das competições no Automobilismo Brasileiro.

A Série Comemorativa - AUTOMOBILISMO BRASILEIRO ,é limitada com pouquíssimas miniaturas produzidas em homenagem para as Equipes, carros e Pilotos que marcaram a nossa história,e que tanto empreenderam no Automobilismo Internacional.


Pesquisa Texto - Carlos De Paula Pesquisa Texto - Carlos De Paula
(Recomendamos o excelente Site - Brazilexporters Automobilismo )Pesquisa Texto - Carlos De Paula

Reviews
Manufacturers
Quick Find
 
Use keywords to find the product you are looking for.
Advanced Search


R$319.90
0 items
Manufacturer Info
Other products
Share Product
Share via E-Mail
Share on Facebook Share on Twitter
Languages
pt-br English
Somos associados e credenciados - SUTACO _ Subsecretaria do Trabalho Artesanal nas Comunidades SP,sendo legitimado no Artesanato Paulista e reconhecida no território Brasileiro e até no exterior. O nosso trabalho é todo ele artesanal. É produzido exclusivamente por Artesões Modelistas no Brasil, e sempre com série exclusiva e principalmente limitada com pouquíssimas unidades produzidas. O propósito do nosso trabalho é tão só reverenciar e homenagear os grandes Pilotos, Equipes, Colaboradores, Colecionadores, Pesquisadores, Entusiastas... que tanto empreenderam no nosso Automobilismo Brasileiro. O site Volarebrasil, é registrado com nome fantasia,sendo os Artesões intendentes pela produção totalmente artesanal diminuta.


VOLAREBRASIL - RÉPLICAS EM ESCALA 1/400 AERONAVES CLÁSSICAS BRASILEIRAS E MINIATURAS 1/43 DO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO.
REVISTA COLECIONISMO BR`` A Mais Nova Tradição No Colecionismo Brasileiro´´.
www.volarebrasil.net.br
www.facebook.com/revistacolecionismobr
volarebrasil@volarebrasil.net.br
.
ATENÇÃO! Ao receber solicitações com o nome/email da VOLAREBRASIL e REVISTA COLECIONISMO BR, com pedidos de pagamento on-line,
solicitações para baixar arquivos, solicitações para links redirecionados...
Informamos que NÃO enviamos e-mails com estas solicitações. São falsas comunicações.